7.31.2009

Eu como a sombra de outro Eu

Os nossos pecados,
quando finalmente serão redimidos?

Será que temos este dom,
tornarmo-nos algo mais do que humanos?
Abandonar este eu
Ao qual insistimos nos prender,
e finalmente tudo aquilo que sempre desejávamos
passar a ser?

Quando envolto de silêncio,
encontro-me encurralado por mim mesmo
e assustado, pela imponência da minha consciência
julgando sem dó o que sou,
apresentando através de um espelho
a glória do outro eu, a glória do outro eu

perseguido por mim mesmo
até a redenção
perseguido por mim mesmo
até o fim de minha humilde aparição

Um comentário:

Bruno Solís disse...

grande juninho, é o bruni, o matheus passou teu blog, vi e achei foda, vou te adicionar lá no meu.

beijos

vivermemata.wordpress.com