5.30.2009

Naturalidade, conceitos e sua não existência

O que é natural?

Isso pode parecer um tanto quanto sem sentido de ser perguntado, afinal muitas pessoas vêem como óbvia a resposta a esta pergunta. Mas algumas vezes me peguei encucado quanto ao sentido que as pessoas dão a este termo e em quanto este sentido é inteiramente equivocado.

Na maioria das vezes que me deparei e tive que confrontar este termo "natural" foi no tocante a discussões sobre o vegetarianismo. As pessoas argumentavam (e muito provavelmente ainda argumentarão) depois de tudo o que foi dito sobre os direitos animais de que simplesmente era natural do ser humano comer carne. Não vou entrar no mérito da resposta aqui, pois no decorrer do texto pretendo que ela pareça óbvio ao leitor [estás aí leitor?].
Quando falamos natural [não me excluo disto!], estamos nos referindo a um conceito de "pureza" anterior a intervenção do homem neste sistema.
Peguemos um exemplo:
Se fulano diz para todos os seus amigos que irá ter um final de semana totalmente natural, e ele utilizar todo o tempo de seu final de semana em uma loja de fliperama, muito provavelmente os seus amigos irão dizer que ele mentiu. Mas porquê?

Porque inferimos que por natural, ele vá fazer algo que se desligue totalmente da tecnologia moderna, muito provavelmente pensariam que ele iria viajar e ficar isolado de qualquer coisa tecnológica, ou que ao menos iria utilizar de uma tecnologia não menos recente.
Agora vamos supor que fulano tenha passado um final de semana em uma cabana na floresta, um cenário completamente bucólico e onde ele possa cozinhar suas coisas em um fogão a lenha. Agora seus amigos certamente não iriam duvidar da veracidade de sua afirmação.

O que mudou? Qual é a diferença entre a tecnologia de um fliperama e a tecnologia de um fogão a lenha? Porquê algo que já foi tão anti natural no passado (imagine pessoas que utilizavam fornos de barro se deparando pela primeira vez com um fogão a lenha "moderno" com direito a chapa de metal e tudo!) agora passou a ser taxado de natural? O fogão a lenha é tão anti natural quanto o fliperama se seguirmos essa linha de raciocínio sobre o termo natural.
Alguém pode dizer então que o final de semana de fulano não foi realmente natural por causa disto, que se ele quisesse ser realmente natural ele deveria viver o final de semana como os homens da antiguidade, utilizando de uma mera fogueira e andando nú, caçando ou plantando seu próprio alimento, com ferramentes rústicas da idade da pedra.

Mas espere! A própria fogueira e as ferramentas rústicas são anti naturais ao ser humano seguindo este modo de pensar, já que não passam de tecnologias muito antigas, mas tecnologias que em algum momento poderiam facilmente serem taxadas de anti naturais!

O que nos resta?
Acabamos extendendo a fundo o que temos por natural e acabamos com nada, nenhum tipo de objeto criado pelo homem é natural. Pois a natureza do homem é não utilizar de ferramentas, não nascemos com elas. Mas isto implicaria em dizer que macacos que utilizam de gravetos para alimentarem-se de cupins de estarem sendo anti naturais!
Agora certamente diriam que estas coisas o são naturais pois o homem tem capacidade para isto, ele pode conceber ferramentas rústicas e pode dominar o fogo. Mas justamente aí que todo o conceito de naturalidade rui, se é "natural" ao homem apenas pelo fato de que ele pode conceber aquilo, então qualquer idéia concebível nos é "natural". Fulano não estava mentindo para seus amigos quando passou o final de semana no Fliperama, o fliperama foi concebido pelo homem e assim o é "natural", senão ele não o conceberia.

Isto quer dizer simplesmente que o conceito de naturalidade não existe, já que naturalidade implica em que existam coisas que não são naturais, o que não é fato, tudo que concebemos pode ser interpretado como "natural" ao ser humano pois temos a capacidade de fazer aquilo "naturalmente". O próprio termo natural torna-se pó sob um olhar minucioso.

Esta mesma idéia pode muito bem ser estendida para não objetos, o raciocínio é o mesmo.

O que você acha? É natural do homem destruir o conceito de naturalidade?

5 comentários:

Daniboy disse...

Acredito que o próprio fato dos macacos usarem gravetos não é algo da natureza, mas é natural. A natureza do ser humano seria comer carniça e algumas plantas. Mas é natural ele criar objetos para facilitar, foi inserido em sua natureza. Tornou-se natural.
Qualquer objeto criado para alguma função é tecnologia. Aves criam ninhos, assim como muitas outras criaturas. Acredito que isto também seja tecnologia, mas menos desenvolvida, se assim podemos dizer.

Madynífica disse...

Acho que só é natural aquilo que o homem não tem alcance.
Aquilo que o homem não domina.

Ex: a ilha do king kong era normal/natural, até que o homem chegou lá.

A lua, era natural intocada. Até que o homem fez dela uma descoberta.

O natural é uma busca.
Como a busca da verdade, e da pureza.

Defina verdade?

Natural pra mim é ver uma estrela cadente cruzar o céu, ver o sol nascer e se por. Ver uma mãe esperar 9 meses por uma bebê. Uma leoa amamentando seus filhotes. É o ceu ser azul e derrepente carregar uma aurora boreal.É a química do seus neurônios.

Talvez o instinto seja algo verdadeiramente natural.

E apenas segui-lo, consegue suprir o peso do seu significado.

INSTINTO.

Augs disse...

Acho díspar comparar o ninho que as aves criam independente do contato com outras aves, ou seja, que é de seu instinto, de sua natureza (natural).

- a questão do chimpanzé pode ser realmente levantada como uma boa “?” no pensamento moderno -

Mas de maneira geral, animais de regiões próximas agem de maneira muito semelhante... Mas o que dizer dos Humanos da Europa (mesmo na antiguidade, ou antes), mesmo próximo, possuíam hábitos muito distintos em vários pontos.

Em um ser humano, enumere as coisas que ele (nós) sabe fazer igual ao que faz socialmente sem estar inserido numa sociedade humana?

E como dito o não-natural, que aqui poderia ser substituído por Cultural – Entendendo cultural como: tudo o que o ser humano produz que só pode dar-se por meio das relações humanas (simplificando o que ele cria dentro da cultura que está inserido) – não se limita aos objetos e tecnologias, vai para além, na forma de pensar, nos padrões, mesmo que qualquer um aqui fosse à natureza e vivesse somente com o que ela proporciona diretamente, ainda, não seria uma alimentação (nem uma vida) natural, pois toda a carga intelectual que nos recobre nos faria agir sobre os alimentos e outras coisas vindas da natureza de formas enraizada na nossa cultura (em toda a amplitude do termo). Pare para observar, como nossos atos, nossos pensamentos, padrões, estilos, gostos, visões, roupas, acessórios e tudo do “mundo humano” está impregnado com a ação humana-social. Não a nas coisas por nós transformadas vestígios de uma natureza do homem, nem mesmo em nós.
Talvez isso esteja tão lá dentro, fora marcado em nós com uma marca tão indelével que hoje se passa por natural.

Desculpa a intromissão na conversa, mas quis contribuir com o debate!

Matheus disse...

não é questã ode ser ou não natural, é questão de parecer natural, livre de influências que nos pareçam tão modernas hj em dia. Natural pode ser coisas intrinsecas ao ser humano, como seu mtabolismo, pensamento ou qllqr coisa assim, mas coisas naturais são falacias...

Matheus disse...

uma coisa que nao eh natural eh o juninho me forçar a comentar no blog....